Malungas: uma exposição sobre racismo, sexismo e cura

implementacao-lei-10639
Foto: Luara Monteiro

Em cartaz no Mucane, a exposição está com inscrições abertas para curso de formação de professores

Na sala do museu, a artista Kika Carvalho empilha em sequência cerâmicas em forma de bonecos negros, que depois caem, um a um, feito dominó. O extermínio. Em outra sala, Charlene Bicalho performa carregando âncoras, que trazem o peso da solidão. “Onde você ancora seus silêncios?”, é a pergunta base e título da performance que já foi apresentada fora do Espírito Santo. O silenciamento. Já Castiel Vitorino traz a cura, preenchendo a menor das salas com a fartura de retratos, textos, receitas e as próprias ervas que curam o corpo e alma desde tempos passados.

Aberta para visitas gratuitas até 9 de dezembro no Museu Capixaba do Negro “Verônica da Pas” (Mucane), a exposição Malungas, composta coletivamente pelas três artistas, busca abordar o racismo e o sexismo, com curadoria da artista e pesquisadora paulista Rosana Paulino.

Além do próprio espaço para provocar as reflexões a partir das artes, Malungas ainda promove um curso gratuito voltado para a formação de professores, com coordenação da artista e professora da Ufes, Kiusam de Oliveira (foto à direita).

Serão quatro encontros com três horas de duração cada. Serão selecionados 20 professores da rede pública e privada, com inscrições gratuitas neste endereço eletrônico. O projeto educativo se conecta com as diretrizes da Lei 10.639, que legisla sobre o ensino da história e cultura afrobrasileira nas escolas. A proposta do curso está baseada na Pedagogia da Ancestralidade, proposta metodológica que busca fortalecer o empoderamento negro feminino.

O primeiro encontro do curso de formação acontece na próxima quarta-feira (17), mesmo dia em que se encerram as inscrições. O tema será “África – O Berço da Humanidade”. No segundo encontro, sábado (20), o conteúdo será em torno da Lei de Diretrizes e Bases Nacional e a Lei 10.639/03: “Entre as artes, os saberes ancestrais e os valores civilizatórios afro-brasileiros”.

 O terceiro e quarto encontros acontecem nos dias 27 e 31 de outubro, com temas “Uma viagem através das performances Malungas e referenciais teóricos de base e apoio” e “(Re)significando seu encontro com as outras Malungas: praticando o afrorreferenciamento dessa formação”, respectivamente. Para receber certificado, o participante deve cumprir um mínimo de 75% da carga horária.

AGENDA CULTURAL

Formação de Professores Exposição Malungas

Quando: 17, 20, 27 e 31 de outubro

Onde: Museu Capixaba do Negro (Mucane) – Avenida República, 121, Centro de Vitória/ES

>> Inscrições Gratuitas pelo formulário. Prazo de inscrições: até o dia 17 de outubro.

Serão oferecidos 20 vagas. Os participante deverão cumprir um mínimo de 75% da carga horária total de 12 horas para receber certificado. A confirmação de inscrição e participação na Formação será feita por e-mail.

>>Programação dos Encontros

1º Encontro: África – O Berço da Humanidade

17 de outubro (Quarta-feira, 9 – 12h)

2º Encontro: A Lei de Diretrizes e Bases Nacional e a Lei 10.639/03: Entre as Artes, os Saberes Ancestrais e os Valores Civilizatórios Afro-brasileiros

20 de outubro (Sábado, 9 – 12h)

3º Encontro: Uma viagem através das performances Malungas e referenciais teóricos de base e apoio

27 de outubro (Sábado, 9 – 12h)

4º Encontro: (Re)significando seu encontro com as outras Malungas: praticando o afrorreferenciamento dessa formação

31 de outubro (Quarta-Feira, 9 – 12h)

Fonte: Século Diário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s