Cabelo é resistência!

É melhor alisar, dá menos trabalho e é mais bonito! Cabelo crespo é cabelo ruim! Cabelo duro não entra nem pente!…

Quantas vezes já não ouvimos isso sobre o cabelo crespo? E sabe o que é isso? RACISMO!

O cabelo é algo muito importante para as mulheres, o nosso corpo é uma linguagem e a cultura utiliza do cabelo como forma de comunicação, esse caráter peculiar dado ao cabelo atribui a ele um símbolo identitário, no caso das negras, esses símbolos sempre foram depreciados pela sociedade brasileira. Isso faz com que mulheres negras de cabelo crespo percam a autoestima e tentem se adequar a cultura branca para serem aceitas pela sociedade. No entanto, mesmo ao tentar se adequar, a mulher negra não é aceita, pois ela não é vista como “do cabelo bom”, mas do cabelo alisado que acaba quando vê água. Sendo assim, a mulher negra não satisfaz a sociedade. Ou ela é preta do cabelo ruim, ou ela é preta do cabelo alisado. E mesmo que você considere a aceitação do cabelo uma besteira, isso dói, fere, destrói a autoestima.

Por isso quando falamos em assumir o cabelo black, não falamos apenas em estética, mas em resistência negra, valorização de si mesma e resgate de uma identidade que ficava abafada por comentários e imposição da sociedade que estabelece padrões estéticos a serem cumpridos e a retomada da autoestima e aceitação.

A aceitação do cabelo negro vem mudando. O que antes era quase que proibido, hoje já se começa a aceitar e achar bonito. Estamos no ano de 2018 e estamos COMEÇANDO a aceitar a estética natural do negro. É uma evolução, mas a passos muito lentos. Por isso ainda precisamos de resistência.

Use seu cabelo natural e resista à sociedade racista.

Um comentário em “Cabelo é resistência!

  1. Sempre ouvi desde pequena : _”NOSSA VOCÊ ACORDA COM UMA JUBA NA CABEÇA, VÁ ARRUMAR ESTE CABELO PARA NÃO ASSUSTAR OS OUTROS”_…
    Consegui que minha filha gostasse dos seus cachos e fosse respeitada desde pequena. Isso fortaleceu seu caráter e sabia se defender dos _bulling_ na escola nas brincadeira de teatrinho com outras criança (brancas), quando ela, muitas vezes, era submetida a fazer papéis da emprega, da babá, da professora…, pois ela não podia fazer os outros papéis ( de mãe, de médica, de repórter…) devido o cabelo dela ser enrolado… Ela se revelação, rodava no salto e Gritava: meu cabelo e lindo e eu posso ser o que eu quiser SER, e quem não gosta do meu cabelo não precisa gostar de mim pois eu sou *Linda Assim*… Muitas vezes eu ia buscá-la na escola ou na casa de Amigas devido estes ABUSOS… ELA SÓ CHORAVA QUANDO CHEGAVAMOS EM CASA… HOJE É UMA MULHER LINDA DE CABELOS SOLTOS AO VENTO…

    Curtir

Deixe uma resposta para Dilma Lúcia Carvalho Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s