Desde 2011, a equiparação de renda dos negros está estagnada, aponta relatório da Oxfam

O Relatório das Desigualdades de 2018 da Oxfam aponta para o Brasil como um país estagnado. No que diz respeito a renda por grupos raciais, a diferença entre a renda de brancos e negros também está em estagnação desde 2011. Brancos ganham 53% mais do que negros. Essa diferença salarial varia entre 57% e 53% há anos. Uma variação pífia levando em consideração que existem ações afirmativas para solucionar essa diferença.

O que isso significa?

Significa que há uma ligação direta entre renda e raça, onde negros historicamente estão nas camadas mais pobres devido ao processo escravagista e abolição sem estruturação social de inclusão. Mesmo com políticas públicas de inclusão a partir da abertura democrática de 1988 e a ampliação de ações afirmativas no governo Lula, como cotas raciais em universidades e concursos públicos, a diferença salarial por raça não sofreu alteração. Isso demonstra falha na formulação e implementação de políticas públicas raciais.

O que se deve fazer, então?

É preciso analisar onde está o erro. Porque se existem políticas que visam subsidiar a igualdade de oportunidades e ainda assim o status quo não mudou, então há um erro na raiz, na formulação das políticas. É preciso rever tudo o que foi feito para mudar esse cenário, avaliar resultados, ações, diretrizes, implementação e reformular ações que atinjam o objetivo de igualdade de oportunidades para ascensão social e ampliação de renda da população negra.

Confira o relatório completo aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s